Variedades

FRANCÊS DO SALTO COM VARA NÃO SABE PERDER E VIRA PIADA NA INTERNET

By  | 
links patrocinados

16229104

 

A última segunda-feira (15) não foi uma noite fácil para o francês Renaud Lavillenie, até então favorito para ganhar a medalha de ouro no salto com vara. Além de ser derrotado pelo magnífico Thiago Braz, o rapaz se zangou com a torcida e se mostrou completamente insatisfeito com o resulto.

esporte-salto-com-vara-thiago-braz-da-silva-20160815-135

É verdade que a torcida brasileira tem um modo muito empolgado de torcer. Em alguns esportes, isso é apreciado pelos atletas, mas em outros a concentração é prejudicada e a euforia pode se tornar um problema. Contudo, nossa cultura do futebol nos tornou competitivos e provocadores, não vemos graça em torcer calados, nós nascemos para vibrar!

Lidar com a pressão psicológica é um fator muito importante para levar um atleta ao ponto mais alto do pódio, mas o francês não fez a lição de casa e se sentiu muito incomodado com a torcida pelo Thiago. “Para mim, as vaias foram o único problema. Eu entendo, todos estavam torcendo pelo Thiago e contra mim e todos outros atletas. Mas não há espaço para este tipo de cena no atletismo. Nós costumamos ter respeito e fair play. Não foi o caso desta noite, mas está tudo bem”

Ele ainda se comparou com Jesse Owens, o atleta negro e estadunidense que encarou Adolph Hitler em 1936, nos Jogos de Berlim. “Em 1936 o público estava contra Jesse Owens. Nós nunca vimos mais isso. Nós temos que lidar com isso. Não existe fair play do público. Vaias são para futebol, não atletismo.”

Como brasileiro não perdoa nada nas redes sociais, a repercussão foi inevitável e o francês virou motivo de piada. “Se não aguenta brincar, não desce pro play.”

 

capture-20160816-162609

capture-20160816-155410 capture-20160816-155501 capture-20160816-155531 capture-20160816-155735

 

Como se tudo isso já não fosse suficiente, o treinador do atleta, Philippe d’Encausse, resolveu também se manifestar e deu close erradíssimo. De acordo com declarações publicadas pelo jornal Le Monde, ele afirmou: “Thiago saltou 6,03m. Ele pode ter contado com a ajuda de forças místicas para isso. Pode ter sido o candomblé”. Completando com “Esse país [Brasil] é bizarro”.

Mas é aquele ditado, querido Francês: ACEITA QUE DÓI MENOS!

 

 

links patrocinados