Você viu?

SUPOSTO ASSALTO ENVOLVE NADADORES AMERICANOS NO RIO DE JANEIRO

By  | 
links patrocinados

Segundo a reportagem do site G1, a Polícia Civil informou na manhã de hoje (18), que não houve assalto envolvendo quatro nadadores americanos. O que aconteceu foi apenas um mal entendido entre os nadadores e os seguranças de um posto de gasolina.

De acordo com a história dos nadadores americanos Gunnar Bentz e Jack Conger, eles foram à Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (DEAT), na zona Sul do Rio de Janeiro, para prestarem um depoimento sobre um assalto relatado pelos nadadores Ryan Lochte e James Feigen, na madrugada de domingo.

Tudo foi solucionado depois dos depoimentos do seguranças do posto de gasolina. No depoimento eles relataram que o táxi com os nadadores parou no posto por volta das 6h de domingo (14), o segurança reconheceu Ryan Lochte como um dos nadadores que desceu do táxi.

O segurança conta que foi chamado pelo gerente, pois os quatro estavam destruindo o banheiro do posto, danificando a saboneteira, papeleira, uma placa informativa e a porta. Depois os jogadores tentaram ir embora com o táxi, mas o taxista iria esperar a polícia chegar, como o segurando pediu.

Ainda segundo o segurança, os nadadores estavam muito alterados e agressivos. Foi nessa hora que ele mostrou o distintivo, mas não chamou muito a atenção dos atletas.

Dois dos nadadores tentaram sair do posto, foi ai que o segurança apontou a arma para eles, para evitar que eles saíssem do local. Com toda a confusão, uma pessoa chegou para ajudar na comunicação dos seguranças com os nadadores.

Os nadadores acabaram oferecendo 20 dólares e 100 reais para cobrir os danos causados no banheiro do posto e saíram por volta das 7h, a PM não havia chegado. Quando a Polícia Militar chegou ao posto, eles registraram o boletim de ocorrência e alegaram que a situação já estava resolvida.

Após deixar o Brasil, o nadador Ryan Lochte deu uma entrevista para o NBC e diz ter sido assaltado, junto com seus colegas de equipe. Na sua versão da história, ele conta que foram para o posto com seus colegas e, após saírem do banheiro, tiveram uma arma apontada para eles. Já em outra versão, ele contou que o táxi foi parado por outro veículo.

Ryan diz que os policiais fizeram poucas perguntas para ele sobre o caso e não pediram para que ele ficasse para as investigações. O nadador conta que está sendo tratado como suspeito, quando é uma vítima.

Depois da incompatibilidade das versões dos nadadores, foi decidido pela juíza Keyla Blank, do Juizado Especial do Torcedor e de Grandes Eventos, que os passaportes dos atletas devessem ser apreendidos até que o caso seja esclarecido.

Impedidos de embarcarem para os Estados Unidos, Gunnar Bentz e Jack Conger foram retirados do avião e estão esperando para dar novos depoimentos às autoridades brasileiras sobre o caso.

Feigen continua no Brasil, mas não sabem de sua localização. Segundo a Polícia Civil, o inquérito sobre o caso pode ser concluído ainda nesta quinta (18).

 

 

 

 

links patrocinados